Artigo: Decidir: eis a questão. Veja os cuidados nas tomadas de decisão

Folder

Viver é tomar decisões. A cada instante precisamos decidir para onde olhar: se vamos sorrir, o que comer, o que comprar, o que dizer. Enfim, decidir faz parte da vida. No trabalho, as decisões são cruciais para determinar o sucesso de qualquer profissional, uma vez que cada escolha tem suas consequências, boas ou ruins, que se refletem diretamente nos rumos dos resultados obtidos, assim como no desenvolvimento da carreira.

Para gerenciar pessoas, a tomada de decisão tem um peso enorme sobre quem decide, assim como sobre o objeto da decisão. Dessa forma, decidir de forma impensada e sem critério traz consigo consequências nessa mesma lógica. É muito importante levantar cuidadosamente as alternativas e ter equilíbrio, ponderação e sabedoria para optar pela melhor delas. Para isso, quero deixar aqui algumas dicas que podem auxiliar no processo de tomada de decisão:

  1. Analise cuidadosamente o problema para tentar entender todos os seus ângulos. Muitos erros são cometidos pela falta de conhecimento mais aprofundado da questão. Para isso, utilize diversas fontes e pontos de vista;
  2. Levante possibilidades e alternativas de “saída” diante da questão que se apresenta;
  3. Sempre que possível e/ou necessário, busque o ponto de vista de outros que possam ter passado por situação semelhante ou tenham um bom conhecimento do assunto. Essa é uma atitude de sabedoria que pode nos conduzir a alternativas mais bem estruturadas;
  4. No entanto, caso seja necessário buscar a opinião de terceiros, saiba que a decisão final é sua e deve ser fruto de uma ponderação equilibrada de toda a informação obtida, aliada ao bom senso e à visão estratégica. Os interesses alheios podem levar a armadilhas que conduzem a decisões voltadas para os interesses de terceiros e não exatamente aos seus. Assim, apesar de essa ser uma rica fonte de informações, é preciso ter cautela;
  5. O tempo deve ser respeitado. Não seja lento nem apressado em suas decisões. A precipitação costuma levar a decisões sem o necessário amadurecimento. Por outro lado, o excesso de morosidade também não é produtivo. Saber dar o equilíbrio temporal necessário a essa questão é um dos requisitos necessários a uma escolha equilibrada;
  6. Em decisões que precisam ser rapidamente tomadas, procure manter o foco da melhor maneira possível e não deixe que as emoções tomem conta do cérebro. Dentro do possível, mantenha emoção e razão em equilíbrio para se manter no controle da situação;
  7. Em sua análise das alternativas, tente antecipar as possíveis consequências positivas ou negativas de cada uma de suas opções. Saiba que o importante não é apenas decidir, mas estar ciente do que possivelmente o espera após uma escolha;
  8. Procure não tomar decisões sob forte estresse e nervosismo. Uma pessoa sob elevada tensão emocional costuma ter inibida sua capacidade de decisão equilibrada. Tenha cuidado com esses momentos para não tomar decisões determinadas mais pelo turbilhão de emoções do que por sabedoria e ponderação;
  9. Esteja pronto para encarar as consequências de sua decisão, uma vez que tudo o que fazemos traz consigo inúmeros acontecimentos positivos ou negativos. Estar pronto para receber essas situações depende do amadurecimento e da profundidade de análise das alternativas de quem decide, assim como do preparo pessoal para “sustentar” o peso de suas próprias decisões;
  10. Aprenda com os erros, não se martirize por não ter optado pela melhor alternativa em alguns momentos. Ninguém é capaz de acertar sempre. O erro pode ser uma rica fonte de aprendizado, basta ter tranquilidade para entender o que aconteceu e extrair o que foi aprendido;
  11. Uma decisão terá o respeito do grupo envolvido caso quem decida demonstre confiança e conhecimento da causa. Dessa forma, as pessoas se sentirão mais seguras e confiantes para respeitar o que foi decidido.

Quando escolher mal, não tenha receio em reconhecer que cometeu erros em suas escolhas e, se for possível e necessário, tente reverter suas decisões equivocadas, desculpar-se e admitir o erro. A grande conquista não está em acertar sempre, mas em acertar na maioria das vezes. Essa é uma missão árdua, que devemos buscar continuamente.

Sêneca foi um grande filósofo que trazia em suas palavras uma profunda sabedoria. No que se refere às decisões, ele disse: “Raros são aqueles que decidem após madura reflexão; os outros andam ao sabor das ondas e, longe de se conduzirem, deixam-se levar pelos primeiros”.

Compartilhe